quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Palavras Voam


Se eu pudesse deter o tempo
eternizar esse momento...
Em que estou nos braços teus.

Se eu pudesse deter o vento
a brisa que vem do mar
as águas das cachoeiras.

Se eu pudesse deter a noite
colher todas as estrelas
para te oferecer.

Se eu pudesse deter a lágrima
que rola na minha face
quando estou longe de ti.

Se eu pudesse...
Ah!... Se eu pudesse...
Tudo isso eu faria.
Colheria todas as rosas
para perfumar os dias teus!

Autora: Léa Abud

Nem Tudo é Fácil


É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas...
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o...
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga...
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,
realidade!!!


Autora: Cecília Meireles

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ser Humano





Sou sujo, sou feio
Sou frio, sou mau.
Não ajo com freio
Sou um louco racional.

Sou fraco, sou quieto
sou mortal, sou sisudo.
Não curto muito o afeto
Tenho medo de tudo.

Sou bobo, ansioso
Sou livre, sou falaz.
Sou podre, ocioso
Mostro do que sou capaz.

Sou rápido, esperto
Sou rude, sou severo.
Sou chato, confesso
Sou tudo o que eu quero.

Sou sujo, sou louco
Sou fraco, sou bobo.
Sou tudo, sou nada
Sou o Ser Humano.

Autor: Francisco Jardson Pires do Nascimento.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Meu corpo magro



Meu corpo magro
é limpo e colorido.
Meu corpo magro
é perfumado e querido.


Meu corpo magro
é brilhoso e curvado.
Meu corpo magro
tem vigor e é delicado.


Meu corpo magro
é bem tratado.
Meu corpo magro
é inocente, porém armado.


Meu corpo magro
é lindo e desejado.
Meu corpo magro
é magro, porém, Amado.


Autor: Francisco Jardson Pires do Nascimento.

sábado, 17 de setembro de 2011

Quero te Amar


Meu amor, por que me deixas sozinho?
O que mais quero agora é ser feliz contigo.
Quero ver teu semblante ao amanhecer,
Quero estar contigo quando o sol se pôr...


É contigo que eu quero viver momentos incríveis.
Quero te fazer a pessoa mais feliz do mundo.
Quero que o nosso beijo nos complete.
Nossa vida terá mais brilho, sendo nós dois juntos...


Venha, não duvides do meu sentimento!
Ele é puro, verdadeiro e muito forte.
Não te preocupas com nada,
pois o mais importante
é o meu amor por ti.


By: Francisco Jardson Pires do Nascimento.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Amar


"Amar não mata ninguém, o que mata mesmo é ver seu amor nos braços de um outro alguém." (Aline Perucci)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O mundo ao dar as costas




Ódio, raiva,
fio de navalha.
O mundo ao dar as costas
fecha todas as portas.

Indivíduos macilentos
de fome e falta de fé.
Correm feito loucos
com medo de certos agouros.

A falta de ventura
para pessoas sofredoras.
Onde está o Bem?
Quem irá ajudá-los?

Miséria, falta de bondade,
falta de bom senso.
Políticos corruptos
distribuindo flores
cheios de espinhos.

Cuidado com o que vais comer
ou tomar,
alguém pode ter colocado
veneno de rato,
no teu copo ou no teu prato.

No meio da rua
disfarces e enganos.
Imagens de um corpo nu
com sangue molhado nos panos.

Por que o mundo não para
de girar, para selecionar
todos os bandidos a ter que
"deletar"?

Será que não adianta
rezar... respeitar... ou amar?
Por que a destruição
tem que continuar?

Ódio, raiva,
fio de navalha.
O mundo ao dar as costas
fecha todas as portas...

... da vida.

Autor: Francisco Jardson Pires do Nascimento.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Meu Desejo



Nem em sonho poderia crer
um dia amar tanto alguém
como amo você.

Sempre desejei viver
uma bela história de amor.
Conseguir vencer obstáculos
e poder superar qualquer dor.

Tenho esperança de que,
contigo,
uma uma bela história de amor
irei ter.

By: Francisco Jardson Pires do Nascimento

sábado, 3 de setembro de 2011

FOME


 Sinto fome de um mundo.
Fome de amar, de gostar,
fome de carinho, de prazer,
fome de olhar, de beijar...

Sinto fome das pessoas
que passaram pela minha vida.
Fome de um sorriso
e de uma palavra amiga.

Sinto fome de sentimentos
que me deram alegria.
Fome de momentos
que foram como uma magia.

Sinto fome de um mundo
que saiba corresponder um amor.
Fome de atitudes
capazes de curar uma dor.

Autor: Francisco Jardson Pires do Nascimento.

QUIETAÇÃO


 No espaço claro e longo
O silêncio é como uma penetração de olhares calmos...
Eu sinto tudo pousado dentro da noite
E chega até mim um lamento contínuo de árvores curvas.
Como desesperados de melancolia
Uivam na estrada cães cheios de lua.
O silêncio pesado que desce
Curva todas as coisas religiosamente
E o murmúrio que sobe é como uma oração da noite...
Eu penso em ti.
Minha boca cicia longamente o teu nome
E eu busco sentir no ar o aroma morno da tua carne.
Vejo-te ainda na visão que te precisou no espaço
Ouvindo de olhos dolentes as palavras de amor que eu te dizia
Fora do tempo, fora da vida, na cessação suprema do instante
Ouvindo, junta de mim, a angústia apaixonada da minha voz
Num desfalecimento.
Pelo espaço claro e longo
Vibra a luz branca das estrelas.
Nem uma aragem, tudo parado, tudo silêncio
Tudo imensamente repousado.
E eu cheio de tristeza, sozinho, parado
Pensando em ti. 

Autor: Vinícios de Moraes