sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O mundo ao dar as costas




Ódio, raiva,
fio de navalha.
O mundo ao dar as costas
fecha todas as portas.

Indivíduos macilentos
de fome e falta de fé.
Correm feito loucos
com medo de certos agouros.

A falta de ventura
para pessoas sofredoras.
Onde está o Bem?
Quem irá ajudá-los?

Miséria, falta de bondade,
falta de bom senso.
Políticos corruptos
distribuindo flores
cheios de espinhos.

Cuidado com o que vais comer
ou tomar,
alguém pode ter colocado
veneno de rato,
no teu copo ou no teu prato.

No meio da rua
disfarces e enganos.
Imagens de um corpo nu
com sangue molhado nos panos.

Por que o mundo não para
de girar, para selecionar
todos os bandidos a ter que
"deletar"?

Será que não adianta
rezar... respeitar... ou amar?
Por que a destruição
tem que continuar?

Ódio, raiva,
fio de navalha.
O mundo ao dar as costas
fecha todas as portas...

... da vida.

Autor: Francisco Jardson Pires do Nascimento.